domingo, 28 de maio de 2017

Hoje queria poder contar a história...

Como disse no post anterior, 24h após o procedimento voltei para minha cidade, carregando comigo o sonho de ver minha barriga crescer, de escutar o coração bater, de sentir o bebê chutar, de dar um filho para meu marido, de ser mamãe, de até sentir um monte de enjoos. 
No D4 voltei a trabalhar normal, o que foi bom para manter a mente também focada em outros assuntos, mas sempre com a esperança de que meu embriãozinho estava se desenvolvendo lindamente no meu forninho.
No D6 fiz o exame de sangue para medir o estradiol e a progesterona, os resultados deram, respectivamente, 211,6 pg/ml e 11,33 ng/ml. Mandei o resultado para o Dr. Fernando Prado, que me falou para manter as medicações e informou que o valor da Progesterona tem que ficar acima de 10 e do Estradiol acima de 100.
Os dias foram passando e com eles aumentava a minha esperança de que minha hora de chorar, mas agora de emoção, estava chegando.
Como o crinone estava acabando e por ser um medicamento caríssimo, o Dr. Fernando autorizou que eu fizesse o beta no d11, um dia antes do previsto.
Chegou o grande dia, acordei bem cedo para ir fazer o exame, coração batendo forte, momento em que decidi fazer um teste de farmácia. Olhei cheia de expectativa para a palheta e adivinhem, apenas um traço. Meu coração partiu, natural a tristeza tomar conta. Naquele momento fui fazer o exame de sangue derrotada, mas confesso que ainda tinha uma pontinha de esperança, afinal tentantes a mantém até o último minuto. Somos assim,né?



Na hora do almoço o resultado ficou disponível no site, coração se encheu de esperança, pois dependendo do que desse, minha vida mudaria de fase e de perspectiva, ali poderia estar a chance de eu e meu marido vivermos um dos nossos grandes sonhos, sermos papais. Resultado: "inferior a 0,10 mUI/ML", mais um super negativo para a nossa caminhada.
Impossível conter as lágrimas naquele momento, doeu muito, tive vontade de sentar no chão e de deixar as lágrimas lavarem minha dor. Naquela semana me permiti ficar um pouco mais chateada, afinal a tristeza é uma das sensações naturais do ser humano e aquela era a hora viver a dor, para que assim , com o passar do tempo, eu pudesse ter a chance de digeri-la. Quem não se permite sentir a dor sem máscaras, também não se permite superá-la verdadeiramente e ter assim a chance convertê-la em roteiro de luz.



Dou nota zero para meu sexto sentido, quando o assunto é gravidez, pois em vários momentos, nesses 11 dias, acreditei que estava grávida. Aff!
Com o passar dos dias, entendi que foi apenas mais um "não" que eu e meu marido recebemos da vida e agora nos resta aprender o que mais esse "não" quer nos ensinar. Mas uma coisa posso dizer, ainda sinto no meu coração que conseguirei gerar um filho ou dois, quem sabe. E até lá seguirei minha vida com ânimo e otimismo, honrando as bênçãos que já tenho. Aprendi com as lutas que tive, a ser mais serena mesmo nas dificuldades, percebi que sempre somos convidados a manter a paz.




No dia seguinte ao resultado do beta, eu e o Dr. Fernando conversamos sobre o negativo, e como sempre, fui acolhida com um carinho e uma generosidade de pai. Durante a nossa conversa ele disse uma frase que me tocou muito:

"Saiba que ficamos todos tristes pelo resultado... foi mesmo uma pena. No entanto, foi um passo. O caminho existe e vamos continuar trilhando".


Meninas, essa frase acalentou meu coração de uma forma maravilhosa, a minha caminhada em busca da maternidade em muitos momentos é um pouco solitária e sentir esse carinho, essa compreensão e ter esse estímulo de que ainda há caminhos faz toda diferença. Muito bom poder caminhar com uma pessoa e um profissional como ele.
Ao Dr. Fernando deixo a minha gratidão, por me ensinar um novo significado do amor ao próximo, da generosidade. Obrigada por fazer parte da minha vida. 

Quero também manifestar a minha gratidão a todos que estão me acompanhando nessa caminhada, a vocês deixo o meu muito obrigada! Que Jesus os abençoe hoje e sempre. Vamos continuar com as orações, elas têm muito poder. 


Sabem, hoje queria poder contar a história do meu positivo, o que não foi possível, mas encerro este post com a fé de que um dia escreverei um lindo texto sobre a minha vitória. Ainda compartilharemos essa alegria.



E-mail: fivamadurecimentodaalma@gmail.com


domingo, 7 de maio de 2017

Será que ele vem?

Após 16 dias da aplicação do Lupron a minha menstruação desceu, no dia seguinte realizei o 1° ultrassom para ver se estava tudo dentro do esperado e graças a Deus o endométrio estava fininho e ovários sem cisto.
Quatro dias após esse exame iniciei o preparo do endométrio com 1 comprimido de Primogyna 2mg pela manhã e 1 borrifada de Oestrogel de 12 em 12 horas.
Após 6 dias fiz o 2° ultrassom na minha cidade.Endométrio trilaminar, 8,3 mm, lindo. Que emoção! A única coisa que não deu para ver foi o ovário direito, pois a alça do intestino  o estava tampando.
O Dr. Fernando falou que isso não tinha problema e que já dava para marcar a transferência. Coração bateu forte, um misto de emoção com um certo medo, afinal eram os meus dois únicos embriões. Sabe aquela sensação de ser sua grande oportunidade. Pois é, foi o que senti naquele momento.
Aumentei, a pedido do Dr. Fernando, a dose dos medicamentos, passei a tomar 1 comprimido de Primogyna 2mg de 12 em 12 horas e 2 borrifadas de Oestrogel de 12 em 12 horas. Após 3 dias, passei a utilizar também 2 cápsulas de Utrogestan 200mg pela manhã e à noite Crinone 8%, uma aplicação via vaginal antes de dormir. O Crinone é caríssimo, mas o Dr. Fernando explicou que é um medicamento que tem uma absorção excelente. De fato, deu para perceber que é diferenciado.
Um dia antes da data agendada para a transferência fui fazer o último ultrassom, graças a Deus estava tudo bem, endométrio da forma esperada, demonstrando o efeito da progesterona e com 10.2mm. 


Chegou o grande dia. Acordei serena e em oração, pedindo a proteção do mundo espiritual e a misericórdia de Deus. Fiz uma retrospectiva de todo meu tratamento e percebi que passei por ele de maneira equilibrada e centrada, bem diferente que na outra FIV. Creio que a reforma íntima, a prática de meditação, a realização semanal do evangelho no lar e a leitura de livros edificantes estavam de fato ajudando na minha libertação da ansiedade, que um dia quase me derrubou e hoje não me pertence mais. Além disso, o tratamento com o Dr. Fernando Prado foi muito diferenciado, foi de uma competência e humanidade admiráveis.

O meu marido não pôde ir comigo para implantar os embriões e o Seu Sérgio, motorista que conheci na minha indução e que passou a tratar-me com o carinho de um pai,  levou-me até o Santa Joana. 

Sentei na sala de espera e fiquei observando aqueles casais que estavam lá cheios de esperança como eu. Percebi que era relativamente fácil descobrir quem eram os novatos no mundo da FIV, todos os presentes tinham estampados no semblante a esperança, mas apenas os novatos ou as mulheres que tinham muitos embriões demonstravam um entusiasmo e uma vitalidade, algo diferente daqueles que já estavam mais calejados com essa caminhada. 

E ali permaneci com meus pensamentos e minhas orações por um tempo. Quando, de repente, escuto o meu nome, era  a embriologista trazendo notícias dos meus dois icebabys. Haviam sido descongelados com sucesso e eram dois blastocistos, grau 2 (para saber mais sobre a classificação embrionária clique aqui: Classificação Embrionária).
Troquei de roupa, bebi bastante água e aguardei pelo grande momento.

Nem sei descrever o que senti quando vi o Dr. Fernando entrando na sala de transferência. Meu coração explodiu de fé e de gratidão por eu estar ali.
O Dr. Fernando ao fazer o ultrassom não conseguiu ver o útero direito, pois uma alça do intestino estava o tampando, mas disse que não tinha problema, já que no dia anterior ele havia medido o útero. Explicou, ainda, que são utilizadas duas réguas para colocar os embriões e que os colocaria 4 cm dentro do útero.
Passou um pouquinho, a embriologista abriu a janelinha da sala e trouxe os embriões, momento em que o Dr. Fernando com muito carinho falou para eu mentalizar boas vibrações, havia chegado a hora de implantá-los. Fui tomada por uma grande paz e emoção, lágrimas corriam pelo meu rosto sem que nem percebesse. O Dr. Fernando por todo momento manteve uma postura muito amorosa, que deixava o ambiente muito equilibrado e carregado de boas vibrações. 

Assim que o procedimento acabou o Dr. Fernando me deu um abraço carinhoso e tocou a minha barriga, momento em que vi nos olhos dele o quanto estava torcendo por mim. Senti toda a energia positiva, não consigo descrever como foi emocionante. Repousei por 20 minutos e saí da clínica feliz, esperançosa e chorando. Chorar, algo que se tornou habitual de um tempo para cá, assunto de outro post.

Quando cheguei lá embaixo o Seu Sérgio estava esperando por mim, deu-me  um grande abraço e disse que se sentia privilegiado por estar comigo naquele momento. Foi tão generoso e carinhoso, fez-me muito bem sentir esse carinho de pai num momento tão especial.

E voltei para minha cidade no dia seguinte, carregando comigo o sonho de ver a minha barriga crescer, de escutar o coração bater, de sentir o bebê chutar, de dar um filho para meu marido, de ser mamãe, de até sentir um monte de enjoos. 


E agora estou aqui esperando pelo positivo. Será que ele vem?

Luz e paz para todas!💕

e-mail: fivamadurecimentodaalma@gmail.com

domingo, 30 de abril de 2017

E aí, FIV engorda?

FIV engorda...


...eis a questão.
*
Pergunta fatídica que me fiz a cada uma das etapas das minhas FIVs. Essa pergunta provavelmente é feita, ao menos uma vez, pela maioria das mulheres que se submetem a fertilização.

O Dr. Fernando Prado antes do início das induções mandou-me algumas orientações por e-mail e dentre elas continha o seguinte texto: 

"Inchaços e drenagem linfática: Um dos efeitos da estimulação ovariana é a retenção de líquidos, que pode ocasionar  inchaços (edemas), leve desconforto abdominal, dor nas mamas e um ganho de peso pequeno  (2 a 3 kg).Porém não se preocupe: não é gordura! É apenas líquido e o peso volta ao normal após uma ou duas semanas. Para aliviar o edema, o melhor tratamento estético é a drenagem linfática, que consiste em uma massagem que ajuda a reduzir esta retenção de líquido do corpo. A drenagem linfática é liberada durante o período da estimulação ovariana, mas deve ser realizada apenas nas regiões dos braços, pernas e costas. Não deve ser realizada no abdome, devido à proximidade dos ovários nessa região".

Na minha indução utilizei Gonal-F,  Menopur, Orgalutran, Ovidrel (falei sobre o protocolo utilizado na minha última estimulação ovariana no post: Vibrando positivamente...). Não tive muitos efeitos colaterais nessa fase, senti a barriga um pouco mais inchada e dura nesse período e um pouco de inchaço nas pernas, nada mais, graças a Deus.
Após a punção fiquei uns dias inchada e o intestino desregulou um pouco, o que deu uma variação na balança em torno de 1kg. Outro efeito ruim que tive depois da punção foi queda de cabelo, que foi controlada após algumas semanas com uso de medicação para recuperá-los, graças a Deus! 

Após 11 dias da punção a menstruação desceu e meu corpo voltou ao normal. Ocasião em que iniciei a preparação do endométrio com primogyna e oestrogel. Dias depois do início dessas medicações também tive um certo inchaço abdominal, mas nada muito significativo. Como falei no post E assim sigo a minha caminhada..., o preparo do endométrio precisou ser interrompido devido à elevação da progesterona, chamada de luteinização prematura. Entre o cancelamento do preparo do endométrio e a espera pela próxima menstruação descobri uma loja que vende a tentação do dadinho, lembram dele?
Consumir com moderação,
perigo para silhueta
Gostinho da minha infância, passei consumi-lo sem educação e claro que seus efeitos foram sentidos na minha silhueta, ou seja, o que me fez desregular um pouco meu peso foi deixar a emoção do momento interferir no meu apetite e não propriamente as medicações.

Quando percebi o risco de comer dadinho numa fase em que estamos frágeis e podemos com facilidade perder a educação ao consumir esse tipo de alimento, peguei tudo, joguei fora e marquei uma consulta de emergência com a minha nutricionista, que passou uma dieta de desintoxicação do dadinho...😆

Aos poucos fui recuperando o equilíbrio entre o alimento e o corpo. Até que apliquei o Lupron Depot 3,75 mg, que faria o corpo ter uma espécie de menopausa química (post: Nova estratégia para preparar o endométrio ). Apliquei o medicamento e mais ou menos 10 dias depois senti um inchaço significativo no corpo todo (2,5kg de variação na balança, achei muito), secura vacinal, intestino irritado e rompimento de uns pequenos vasinhos da perna e do tornozelo. Quando percebi essas alterações, por alguns momentos minha autoestima balançou, mas levantei a cabeça, era só uma fase e foquei no resultado que almejo.Tudo por um objetivo maior, né? Ver minha barriga crescer com o(s) meu(s) bebê(s). 

Nos últimos anos me submeti a três induções, duas punções, três preparos de endométrio e pude perceber que no meu corpo houve sim retenção de líquido que alterava a balança, mas que sempre voltava ao normal. O que na verdade me fez engordar um pouquinho em algumas fases foi desregular na alimentação (muitas vezes fruto da expectativa que o tto causa) e por ter diminuído a prática de atividade física. Em alguns momentos senti a necessidade de diminuir a atividade física, seja por sentir os ovários pesados durante a indução seja por ter a necessidade de canalizar minha energia.

Vamos que vamos rumo ao positivo. 


💕✨Luz e paz para todas!!!✨💕

e-mail:fivamadurecimentodaalma@gmail.com

* Imagem extraída do google imagens - "emoji".



domingo, 26 de março de 2017

Nova estratégia para preparar o endométrio

Como no ciclo passado ocorreu a alta prematura da progesterona, o Dr. Fernando decidiu fazer algo mais efetivo para que isso não ocorra novamente. 


Na semana da menstruação foi indicado aplicar uma ampola (intramuscular profunda) de uma medicação chamada Lupron Depot 3,75mg.
Ele me informou que essa medicação vai deixar o organismo em menopausa química por uns dias (4 semanas). Todavia, não sentirei os efeitos colaterais, pois a reposição hormonal será iniciada quando os efeitos começarem a se acentuar.

Ele informou que a nova preparação para receber meus amados icebabys se dará da seguinte forma:

1- Aplicação do Lupron
2- Nova menstruação entre 7-14 dias
3- Início do preparo do endométrio
4- Transferência dos embriões (3 semanas após o início do preparo)

Utilizando esse método ele terá mais controle sobre os ovários e provavelmente será evitada a situação que tivemos no ciclo passado. 
Confesso que quando vi o termo menopausa química fiquei com medo, mas depois da explicação detalhada e carinhosa do Dr. Fernando me acalmei.

Esses anos em busca da maternidade estão me ensinando muitas coisas, uma transformação ocorreu na minha vida, mudei muito como pessoa. E toda vez que o desânimo e a tristeza batem a porta, natural isso acontecer às vezes, lembro-me de toda a misericórdia de Deus na minha vida e com isso busco recobrar meu bom ânimo para seguir em frente.



Agora é momento de manter a esperança, a alegria e a fé! Eu creio no positivo, creio que darei a luz a filho(s) saudável(is).
💫Luz e paz a todas!💫

e-mail: fivamadurecimentodaalma@gmail.com

domingo, 12 de março de 2017

E assim sigo minha caminhada...😄

A menstruação desceu 11 dias após a punção e a partir daí começamos a preparar o endométrio.

- No primeiro dia do ciclo comecei a tomar 1 comprimido por dia de primogyna e passar uma borrifada de oestrogel de 12 em 12h no abdômen. 
- 8 dias depois, fiz o primeiro ultrassom, endométrio estava 5,6 mm e tri-laminar. Dr. Fernando recomendou aumentar a dose para 1 comprimido de primogyna de 12 em 12horas e 2 borrifadas de oestrogel de 12 em 12h.
- 9 dias depois, fiz o 2°ultrassom e o endométrio passou para 8,3 mm e continuou tri-laminar. 
- No entanto, no dia em que fiz o 3° ultrassom o endométrio não estava mais adequado para a realização da transferência do embrião, ele estava hiperecóico. Dr. Fernando me explicou que ninguém sabe a causa, mas é uma elevação da progesterona. Chama-se luteinização prematura.💦
Diante disso, o Dr. Fernando cancelou o ciclo, pediu, também, para parar com todas as medicações, tomar Duphaston 10 mg por 7 dias e aguardar a menstruação descer. 

Ainda não sei se a ocorrência da luteinização prematura foi uma coisa pontual ou não, depois vou conversar com o Dr. Fernando sobre isso e volto para contar para vocês. 

Como o tto de fertilização acaba consumindo muita energia do casal, principalmente a da mulher que se desgasta muito fisicamente com tantos medicamentos e procedimentos, fora toda a questão emocional que a situação envolve, decidi praticar com ainda mais habitualidade as técnicas que utilizo para manter minha mente serena e focada no aqui e agora. Atualmente, pratico uma técnica de meditação conhecida como Mindfulness*, Atenção Plena, que ensina manter a mente mais consciente e atenta nas experiências do dia a dia, aumentando a capacidade de ver as coisas de uma maneira mais positiva, mesmo em situações mais estressantes, como, por exemplo, essas mudanças de planos tão comuns no universo da fertilização in vitro (já estou até acostumada). E assim consigo bloquear a ansiedade exagerada e seus efeitos nocivos. Depois de tudo que vivi nos últimos tempos aprendi que a "ansiedade precede a ação de cair"** e não quero isso para mim nunca mais.



Agora só me resta confiar que na hora apropriada Deus abençoará e meu endométrio ficará perfeito para transferir os meus queridos e já amados icebabys, que, com a graça de Deus, se desenvolverão lindamente e com saúde no meu útero. Estou muito feliz por tê-los.


Felicidade - Marcelo Jeneci

E assim sigo a minha caminhada em busca do sonho de gerar filhos, de ter a casa repleta de energia infantil. Confio em Deus, tudo dará certo. 🌿 

Fico na fé! 

Luz e paz a todas!

*O que é mindfulness?
**Frase extraída do Livro Pão Nosso, capítulo 8, Ansiedades, Chico Xavier. 



sábado, 18 de fevereiro de 2017

Vibrando positivamente...

A fase das induções até a minha punção durou 13 dias, chegar ao final do tratamento (tto) dentro do prazo esperado pelo médico, sem nenhum folículo disparar e sem dor foi uma vitória, uma emoção para mim. Essa emoção se deu pelo fato de eu ter tido uma experiência delicada na FIV anterior que fiz na minha cidade, pois tive que fazer duas induções e nas duas tive um folículo que disparou, sendo que na primeira, o tto teve que ser interrompido e na segunda, a punção  foi realizada com poucos dias de indução, por causa do folículo que cresceu demais, o que gerou por consequência captação de muitos óvulos imaturos. Por fim, tive apenas 1 embrião muito fragmentado, que implantei com dois dias. Falei sobre o que senti após o negativo  nos textos Será que teremos o nosso momento? e Sim, é permitido.


Os 13 dias de tto foram divididos da seguinte forma:

- No 1° dia da menstruação fiz o 1° ultrassom em que vimos que eu estava com pequenos folículos, endométrio fininho e sem cistos. Inicie com 225UI de Gonal-F, que usei por 4 dias.
- No 5°dia tto fiz o 2° ultrassom, que mostrou a existência de 9 folículos entre 9 e 12 mm. Dr. Fernando Prado incluiu uma nova medicação, passei a tomar a partir do 5°dia 150UI de Gonal-F e 150 UI Menopur.
- No 8° dia,com o coração batendo forte, retornei para fazer o 3° ultrassom. Dos 9 folículos, 7 estavam evoluindo, 1 cresceu pouco e 1 parou. O Dr. Fernando Prado incluiu o Orgalutran e manteve as outras duas medicações (Gonal e Menopur). Eu e meu marido aproveitamos para fazer o exame de Zika na clínica Neovita mesmo, a Anvisa passou a exigi-lo de pessoas que estão fazendo FIV e sua validade é de apenas 30 dias.
-  No 10° dia fiz o 4° e último ultrassom, dos 7 folículos que tinha, 4 estavam com bom tamanho, 2 médios e 1 atrasado. Foi indicado mais um dia de indução (Gonal, Menopur e Orgalutran) para tentar amadurecer os folículos médios.
- No 11° dia apliquei o ovidrel às 21h20 e 35 horas depois fiz a punção, que foi muito tranquila. Todos do Hospital Santa Joana foram muito gentis e cuidadosos, além disso não senti dor nenhuma após o procedimento, o máximo que ocorreu foi um leve incômodo nos ovários dois dias depois, mas nada que ensejasse a necessidade de tomar remédios. 

Logo após a punção o Dr. Fernando Prado foi me ver no local onde eu estava me recuperando e no momento que o vi, antes mesmo de ele dizer uma palavra, não consegui conter as lágrimas, que teimaram em cair.
Eram lágrimas de gratidão por Deus ter colocado um anjo em forma de médico na minha vida, pessoa que me permitiu tentar novamente, que me trouxe ânimo, esperança e confiança a cada consulta. Lágrimas por eu estar ali, por ter conseguido chegar ao 13° dia, por ter dado certo. Lágrimas por saber que existem pessoas como ele, instrumentos da bondade divina que me fazem acreditar nas pessoas e perceber que a vida está repleta de seres incríveis. Lágrimas leves e libertadoras, que há tempo não escorriam pelo meu rosto. 

No meio do meu "chororô" ele me falou que conseguimos 7 óvulos e que nos dias ímpares do desenvolvimento dos embriões a embriologista do laboratório Huntington ligaria para dar notícias.
Após melhorar um pouco, tive alta hospitalar e fomos direto para o aeroporto. 

No dia seguinte recebi a ligação da embriologista que informou que dos 7 óvulos, 6 estavam maduros e 5 fertilizaram. No 3° dia informaram que 3 estavam evoluindo bem e dentro do padrão e 2 não. No 5° dia informaram que conseguimos 2 ótimos embriões que seriam congelados. Naquele momento me senti uma vitoriosa, fui abençoada por um tto de primeira, conduzido por um médico e uma equipe sensacionais, consegui ir até o final do tto sem nenhum folículo disparar e Deus me abençoou com dois blastocistos lindos.
Sei que têm meninas que conseguem um time de futebol de embriões, mas hoje em dia não me comparo a ninguém, respeito a minha história, valorizo o que tenho e vivo o meu momento com o melhor sentimento que puder.
E agora estou aqui vibrando positivamente com o que tive, acreditando que com a graça Deus os meus icebabys vão se devolver lindamente quando vierem para o forninho. 



Meninas, vamos continuar nas orações e na corrente de boas vibrações. O ano de 2017, com a permissão do Senhor, será de muitos positivos e bênçãos para todas nós.



e-mail: fivamadurecimentodaalma@gmail.com





quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Uma nova chance...😄

O resultado do exame do meu marido deu normal, graças a Deus! Com isso começamos a nos preparar para início do tratamento. Não consigo descrever a minha emoção pela oportunidade de tentar novamente.🎉🎉🎉


Começamos a pesquisar hotéis na capital paulista, a fase de indução dura de 12 a 14 dias em média e vou precisar ficar por esse período na cidade. 

Desses 12 dias, 5 seriam na casa de uma conhecida que me ofereceu estadia. No começo fiquei um pouco resistente em aceitar o convite, pois se tratava de uma senhora que conheci numa pequena viagem que fiz em 2016 e não me sentia a vontade de invadir o espaço dela. Mas numa conversa que tivemos, ela disse que o convite era de coração, falou que depois de certa idade a pessoa aprende o verdadeiro significado das coisas e que sentia que eu deveria ficar com ela nos primeiros dias do tratamento. Coisa de Deus mesmo, pois esses dias na casa dela seriam uma grande economia. Além disso, não ficaria sozinha nesse momento tão importante da minha vida, meu marido só poderia ir me encontrar depois. Admirável uma pessoa abrir as portas da sua casa para uma pessoa que conhece há tão pouco tempo. Existe muita gente generosa nesse mundão de Deus, não acham? A verdade é que não estamos sozinhos nunca, aprendi que  a partir do momento que damos o nosso melhor para o universo, ele também nos retornará com o melhor, sempre nos dando todo amparo necessário. 
"Deus ajuda o homem por meio do homem", cada vez mais percebo que isso é uma grande verdade. 



Finalmente, desembarquei em SP cheia de bagagem. Devia ter ouvido meu marido quando disse para eu não trazer tanta coisa. Como iria fazer para carregar aquilo tudo?Tive que me virar e claro, boas almas viram a minha situação caótica e ajudaram-me.

Fui direto para a clínica fazer meu primeiro ultrassom. Dr. Fernando Prado atendeu-me com sua gentileza e carinho habituais. Graças a Deus estava tudo bem, sem cistos, com folículos pequenos e endométrio fininho. Apesar de ter exame de trombofilia positivo, o hematologista, depois de fazer alguns exames, autorizou o uso da pílula e acho que isso ajudou muito para que estivesse tudo dentro do padrão no momento de iniciar o tratamento.

O Dr. Fernando Prado prescreveu Gonal-F 450 UI, aplicar 225 UI por 4 dias. Lá na clínica eles já preparam a medicação, levamos as seringas prontas para utilizar. Muito prático.

E assim começou a minha nova chance de gerar meu filhinho ou filhinhos (vai que Deus abençoa e manda gêmeos).  

Meninas, orem por mim. A intercessão tem muito poder. 

Amor, saúde e paz a todas! Que venham nossos bebês.